Script Brasil

Japoneses desenvolvem sutiã que só abre quando mulher está apaixonada

Os homens conhecem bem a cena que será descrita a seguir: o casal está apaixonado, e em sua ânsia de desejo inicia troca de carícias, e bem no meio disso tudo, eis que surge um obstáculo diante do homem: o sutiã, que não abre de jeito nenhum.

Pois é, com certeza muitos homens já se perguntaram o porquê dos sutiãs serem tão difíceis de serem aberto, não é mesmo?

Mas para isso, como para tantos outros problemas, há os japoneses, com suas descobertas incríveis e suas criações altamente tecnológicas, que visam sempre facilitar ainda mais a nossa vida.

Mas dessa vez eles de fato se superaram, criando um sutiã que aparentemente resolve o problema do homem (ao menos do apaixonado) e de quebra ainda ajuda as mulheres, já que esse moderno dispositivo só abre caso a mulher esteja realmente apaixonada pelo homem.

Segundo a empresa japonesa Ravijour, o sutiã se abriria apenas nos casos em que a usuária estivesse excitada/apaixonada. Tudo graças a sensores que medem as reações da mulher e que analisam as alterações, como na frequência cardíaca, por exemplo. Esses dados são enviados para um celular por meio de Bluetooth, onde são analisados e comparados com medições anteriores. Se for verificada alguma alteração que indique que a mulher possa de fato estar interessada pelo seu parceiro, o fecho piscará e se abrirá como num passe de mágica.

Sutiã Mulher Apaixonada

Criado por conta das comemorações pelos 10 anos da Ravijour, o sutiã “mágico” não será comercializado, pelo menos até onde se sabe.

Isso pode significar que os homens ainda terão de se deparar com dificuldades para abrir os sutiãs alheios e as mulheres terão de continuar a tentar ajudá-los nessa árdua tarefa.

Agora uma coisa é certa: esse sutiã inventado pelos japoneses seria uma “mão na roda” para muita gente, mas talvez significasse um problema para outro tanto de pessoas, já que muitas vezes elas podem não estar apaixonadas, e o fecho pode não se abrir, o que gerará um pouco mais de mão-de-obra.

Caso o sutiã “mágico” da Ravijour venha a ser comercializado em um futuro não muito distante, pode-se imaginar um preço salgado para a peça, já que não se trataria apenas de um item de vestuário intimo, mas sim de um item tecnológico altamente moderno.

Postado em .


Pela Web

Comentários